domingo, 26 de outubro de 2008

Sobre o Aspartame

O aspartame é um composto artificial, descoberto em 1965, produzido pelos aminoácidos fenilalanina (50%) e ácido aspártico (40%), além de 10% de metanol (na forma de éster metílico). Este composto é um importante constituinte de adoçantes artificiais, sendo primeiramente utilizado apenas para diabéticos e mais tarde grande parte da população passou a consumi-lo, em razão de ele “substituir” o açúcar e poder ser um bom aliado na dietas de pessoas que querem perder peso.

Essa substância requer alguns cuidados, principalmente para pessoas portadores de fenilcetonúria (PKU). Produtos que contenham esse composto devem ser evitados pelos fenilcetonúricos, vistos que estes não metabolizam fenilalanina (presente na fórmula do aspartame).

A fenilalanina que circula no sangue materno pode atravessar tranqüilamente a barreira placentária e se acumular nos tecidos fetais. Níveis de 60 mmol/dl de fenilalanina no sangue de gestantes pode gerar deficiência nos neonatos, porém pesquisas feitas mostram que mesmo gestantes PKU-heterozigóticas ingerindo aspartame em altas doses (100 mg/kg), o máximo de fenilalanina que se pode chegar é 42mmol/dl. Por isso o consumo de aspartame é prejudicial em gestantes PKU-homozigóticas. Assim, é recomendado a gestantes PKU-heterozigóticas e não portadoras evitar ou usar pequenas doses de produtos com aspartame apenas por precaução.

Produtos que contém aspartame

Existem aproximadamente 5000 produtos que contém este composto. Entre eles bebidas, iogurtes, gomas de mascar, gelatinas, adoçantes e outros.

Como calcular a quantidade de fenilalanina proveniente de um alimento adoçado com aspartame?





  1. Refrigerante Pepsi Twist Light

No rótulo lemos: aspartame 35 mg/100 mL.

Considerando uma lata de 330 mL temos:

Vale salientar que esta quantidade está bem abaixo da concentração permitida pela legislação brasileira

100 mL de refrigerante ----------------35 mg aspartame

330 mL ---------------- x

x = 115,50 mg aspartame ----------- 100 %

y ----------- 50 % Resposta: Uma lata contém 57,60 mg.



  1. Iogurte Molico Beauty Nestlé 130 g (Laranja e Framboesa)

Nesse caso a quantidade presente no produto não é indicada no rótulo. Vamos considerar o que diz a legislação, esse alimento deve conter, no máximo, 0,075g de aspartame por 100 g de produto pronto para consumo.

0,075 g -------100 g

x ------- 130 g x = 0,0975 g

0,0975 g ------ 100 %

y ------ 50 % y = 0,04875 g Resposta = 48,75 mg de fenilalanina.



  1. Royal gelatina diet 15 g (vários sabores)

Nesse caso a quantidade presente no produto não é indicada no rótulo. Vamos considerar o que diz a legislação, esse alimento deve conter, no máximo, 0,075g de aspartame por 100 g de produto pronto para consumo.

No preparo da gelatina são usados ± 500 mL de água. O produto preparado pesa aproximadamente 500 g.

0,075 g -------100 g

x ------- 500 g x = 0,375g

0,375 g ------ 100 %

y ------ 50 % y = 0,1875g Resposta = 187,5 mg de fenilalanina.

Esse é o valor total. Supondo que a gelatina seja dividida em 5 porções iguais o valor seria: 37,5 mg.

by: Amanda Biete

Fonte: http://ricardo.pro.br/s/aspartame.htm

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0100-72032007000500008&script=sci_arttext&tlng=pt


Bibliografia

  1. Christian Tschanz, Harriet H. Butchko, W. Wayne Stargel e Frank N. Kotsonis. The Clinical Evaluation of a Food aditive: Assessment of Aspartame. Ed. CRC Press, New York, (1996).
  2. Toledo, M. C. F., and Ioshi, S. H. Potencial intake of intensive sweeteners in Brazil. Food Addti. Contam. 12, 799-808. (1995).
  3. Butchko et al, Regulatory Toxicology and Pharmacology, 35, S1-S93, (2002).
  4. Sheryl A. Hutchinson, Greogory S. HO, and Chi-Tang Ho, Stability and degradation of the high-intensity sweeteners: aspartame, alitmame and sucralose. Food. Rev. Int. 15(2), 249-261 (1999).
  5. Seizi Oga, Fundamentos de toxicologia, Ed. Ateneu, 1996.
  6. Anvisa: Decreto nº 2.314, de 4 de setembro de 1997
  7. Anvisa: Resolução - RDC nº 1, de 2 de janeiro de 2001
  8. Anvisa: Resolução - RDC nº 2, de 2 de janeiro de 2001
  9. Anvisa: Resolução - RDC nº 3, de 2 de janeiro de 2001




4 comentários:

Marcelo disse...

Há pesquisas que fizem que aspartame causa cancer em roedores.

O que voces acham disso? são pesquisas validas para humanos ?

Marcelo Hermes

Grupo de PKU disse...

Prof. Marcelo, por se tratar de uma questão bastante interessante a gente resolveu postar algumas curiosidades sobre este tema: "Aspartame: um doce veneno? (curiosidades)".

Amanda Biete

rick disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
rick disse...

É raro uma pessoal ter esse tipo de doença?